Paul McCartney Alerta!

em Eco por

Oi, sou Paul McCartney.
Frequentemente tenho dito que se matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos. Animais nascem em fazendas onde são criados, abatidos em matadouros e passam pelos mais inimagináveis sofrimentos. Eu espero que quando virem a rotina de crueldade envolvendo a criação, transporte e abate desses animais para virarem comida, se juntarão às milhares de pessoas que decidiram deixar a carne fora de seus pratos… para sempre. Frangos e perus são sem dúvida os mais abusados na face do planeta. São amontoados em galpões apertados em dezenas de milhares e forçados a viver em seus próprios excremento. Frangos e perus são selecionados para tornarem-se tão grandes e tão rápido que muitos ficam aleijados por causa do próprio peso.Os trabalhadores dos matadouros e fazendas mecanizadas são mal pagos e o trabalho é monitorado, muitas investigações dentro de matadouros de aves revelaram crueldades chocantes que vai além dos abusos tradicionais como nessas recentes imagens de um grande criador de peru.
Homem diz nas imagens ao mesmo tempo que torce o pescoço da ave:
– Alguns são “foda”! De matar.
As galinhas usadas na indústria de ovos são amontoadas em gaiolas tão pequenas que não podem fazer qualquer coisa natural e importante para elas, como abrir uma única asa. A ponta sensível dos bicos são cortadas com uma lâmina quente, causando dores constantes que estudos mostram que duram mais de um mês. Frangos são animais inteligentes que, em algumas instâncias, as habilidades de raciocínio são maiores que as de cachorros e crianças. Frangos são também animais muito sociáveis com uma elaborada maneira de comunicação. Galinhas poedeiras são confinadas a estreitas gaiolas por toda sua vida o que causa desgaste dos músculos, deterioração dos ossos que quebram pela falta de uso. Seus pés ficam contorcidos e seus corpos machucados, com cortes por ficarem sobre arames por dezoito meses antes de serem levados aos matadouros. No fim de suas miseráveis vidas, frangos e perus são forçadamente empacotados em gaiolas amontoadas e transportados por horas em precárias condições sem comida e água. Nos matadouros, as pernas dessas aves são penduradas e suas gargantas são cortadas, muitas quando ainda estão conscientes.
Os porcos são mais inteligentes que cachorros, até melhores que alguns primatas em tarefas variadas, como manobrar video games interativos. Têm habilidades cognitivas mais aprimoradas que da maioria de crianças humanas de três anos de idade. Enquanto nas fazendas, são aprisionados e amontoados em condições precárias. Muitos ficam insanos pelo stress, abuso e a completa falta de estimulação mental. Porcas leiteiras são tratadas com máquinas, forçadas a amamentar litro por litro. Elas dão a luz em celeiros sem espaço suficiente até para seus leitões recém nascidos.
Legenda, enquanto o homem mata o leitão.
Leitões doentes ou fora do tamanho padrão, são rotineiramente mortos a pauladas, como vêm na cena.
As condições são tão precárias nos criadouros de porcos de hoje, que a doença e morte de leitões é comum e considerada aceita pela indústria. São criados para crescer de maneira absurdamente rápida, o que causa ferimentos, doenças e dor constante. Então, são sujeitos a serem transportados amontoados antes de serem mortos. A paralização pelo método de eletro-choque não é confiável, o que significa que alguns porcos continuam completamente conscientes quando suas gargantas são cortadas.
As vacas nunca esquecem um rosto, ou um lugar e têm habilidades de resolver problemas complexos. O professor universitário Donald B. documentou o fato que esses gentis animais, ficam exaltados e algumas vezes pulam no ar, quando descobrem a solução para um problema. Vacas que são usadas para produzir carne e leite têm uma dieta não natural para maximizar o crescimento e lactação que causa constante aumento da lactação e dor. Durante o inverno elas são aglomeradas em galpões assim como os frangos e porcos. Em alguns casos são mantidos dentro deles pelo ano todo. Vacas, naturalmente, produzem leite para sua prole não para seres humanos! Mas as vacas da indústria de laticínios são mantidas grávidas perpetuamente para uma contínua produção de leite. Os bezerros são separados das mães logo depois do nascimento, o que causa neles stress profundo. Nas indústrias de leite as vacas são tratadas como nada mais que máquinas de leite. Algumas são genéticamente manipuladas para produzir dez vezes mais leite de que seus bezerros coseguiriam mamar. Várias vezes ao dia são colocadas em máquinas sugadoras que causãm inflamações dolorosas no período de retirada do leite. Quando não são mais úteis para produção, elas também são mandadas para os matadouros onde são usadas na produção de hambúguers e sopas. Sendo criadas para carne ou leite, levam uma vida difícil até o final de suas vidas. Muitas nem sobrevivem atés o final da “viagem.” Como nos porcos, a pistola de pressão nem sempre funciona, causando ainda mais agonia. Alguns matadouros são ainda mais crúeis que os métodos de abate convencionais. A carne vinda desses animais é considerada aceitável pelas indústrias.
Há consensos científicos que os peixes são inteligentes e possuem pessoais e distintas personalidades. Podem usar ferramentas e têm memória evoluída. a Dra. sylvia Earle, líder dos biólogos marinhos diz: “Eu nunca como quem eu conheço pessoalmente. não comeria deliberadamente badejos, assim como não comeria um cocker spaniel.” Eles são tão curiosos, têm boa índole, sào sensíveis, têm personalidade e se machucam quando lesionados. Sentem dor do mesmo jeito que mamíferos. Mesmo assim são mortos em bilhões, de forma que seria ilegal com qualquer outra espécie. Redes de pesca em massa captura toneladas de animais enquanto são arrastadas pelo fundo do oceano. Quando erguidas para dentro dos barcos, sofrem por descompressão, sufocados ou são esmagados pelo enorme peso quando embaixo dos outros peixes. Golfinhos, baleias, tartarugas e outros peixes maiores são capturados pelas redes ficam se enrrolam na rede de pesca e são atirados de volta ao oceano, mortos. Cientistas do meio ambiente falam sobre o estado trágico do oceano. Se continuarem com o modo que funciona a indústria de pesqueira, os cientistas dizem que o oceano ficará totalmente sem peixes até o ano 2048. Eco-cultura ou fazendas embaixo d’água também são horrivelmente abusivas para os animais. Peixes nadam em seu próprio lixo em congestionadas piscinas com água tóxica. Doenças se espalham. As condições em algumas fazendas são tão horrendas que 40% dos peixes morrem antes de estarem prontos para serem mortos e empacotados como comida. O consumo de peixe é a principal causa de intoxicação alimentar e são os principais “responsáveis” pela exposição de humanos ao mercúrio, o que causa sérios danos neurológicos. Quando a carne vem de animais de quatro, duas ou nenhuma perna, toda carna é na verdade “carne vermelha.” As atuais indústrias de carne são as responsáveis por doenças como a vaca-louca, gripe aviária e outras. As carnes vendidas são sujeitas a outras bactérias como a salmonela. O consumo de carne nos sujeita ã altos índices de colesterol, gordura saturada e é uma das principais causas de problemas cardíacos, câncer e obesidade. estudos mostram que vegetarianos são menos sucetíveis a todas essas doenças. Se você se importa com o meio ambiente, saiba que de acordo com cientistas da ONU, comer carne gera 40% mais gás carbônico e monóxido de carbono, que todos os meios de tranporte juntos. Esses que provocam as mudanças climáticas. Se se importa com o planeta, tirar a carne da dieta é uma das maiores contrubuições que podemos dar. alguns vêm diferença entre abusar de um gato e abusar de uma galinha. Abusar de um cachorro e abusar de um porco. Para todos os animais, sofrimento é sofrimento. Comer carne é ruim para a saúde, para o meio ambiente e incentiva diretamente a crueldade com pobres animais. A decisão é sua, por favor, a faça com compaixão. E por favor, compartilhe isso com os amigos, Obrigado.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*