O que não te contam quando você vai prestar vestibular

em Comportamento/Comunicação/Jornalismo por

Quando chegar ao terceiro ano, se é que já chegou esse ano ou tenha chegado há um tempo, a maior preocupação da sua vida vai basicamente ser o vestibular. Enquanto não entrar na faculdade desejada ou a certa, esta será a sua preocupação. A menos que você não pense igual às outras pessoas. Nesse caso, eu vou te contar um segredo: não tem nada de errado nisso. Mas, de qualquer maneira, é natural que se preocupe, porque a vida inteira você estudou para esse fatídico dia em que iria entrar em uma faculdade. E ela tem que ser pública, tem que ser a melhor de todas.
Os motivos variam. Se você tem um pouco mais de dinheiro, tem que estudar porque a vida inteira os seus pais te pagaram bons colégios. Ou seja, não poderá decepcioná-los agora. Porém, se estudou em públicos, então é melhor continuar nessa, porque não vai ter como pagar por algo melhor. Se nunca estudou muito na vida, então será pior ainda, porque você nunca vai chegar lá. Nos colégios, há grandes incentivos para que tenha as melhores notas, passe nos melhores lugares e conte a eles. Não se esqueça de contar a eles! No cursinho, apenas as públicas. Afinal, você não chegou até ali para entrar em qualquer uma. E deve ser a melhor, sempre ela.

É natural se sentir péssimo. Péssimo porque tem que passar ou porque não passou. Péssimo porque você deve fazer escolhas por toda a sua vida e elas têm que dar certo. Péssimo porque a faculdade pública é a melhor. Ou a paga X ou Y é a melhor. Mas o que ninguém te conta quando você vai prestar vestibular é que vivemos em uma sociedade doente. Ninguém te conta que, para os colégios e cursinhos, você é meramente uma propaganda para chamar mais alunos.

Pois é, meu caro e minha cara, você vive em um mundo no qual, se não tirar notas boas, então não é tão inteligente. O que ninguém te conta quando você presta vestibular é que isso fica tão enraizado na sua mente, que provavelmente jamais sairá de você. E você continuará com isso até se formar. Algumas escolas já obrigam crianças a estudarem o dia inteiro, quando elas chegam em casa têm que fazer lição. Não há muito espaço para brincadeiras, na verdade, quase nenhum. Nessas mesmas escolas, quando os alunos fazem um simulado, as notas deles aparecem em um grande painel, não importando se foram bem ou mal. E elas também podem te dar um “bônus” por ser um bom aluno. Podem pagar, por exemplo, para prestar medicina, sendo que quer química. E tudo porque já passou uma vez, mas isso foi no segundo ano. Além do mais, é sempre bom ter um aluno que passou em medicina no terceiro. Muitas podem dizer que isso é saber lidar com frustração e ter mais vontade para chegar lá, além da recompensa. Eu chamo isso de falta de humanidade.

Você quer mesmo saber o que ninguém te conta ao prestar vestibular? A verdade é que 70% daquilo você não vai usar para nada. Se não exercitar o que aprende, você esquece 25% em seis horas. 33% em 24h e 90% em seis meses. Parece loucura, não? Mas somos ensinados a supor que isso é o correto. A verdade é que todas aquelas provas não avaliam realmente o quão inteligente você é, porque existem milhares de tipos de inteligências, seres humanos tão complexos e diversos que são capazes de fazer qualquer coisa, cada um ao seu modo. Eles avaliam um suposto conhecimento que você adquiriu para mostrar aos outros que existem pessoas que estudaram ali e se deram bem. Isso é o que eles fazem.

O que você leva depois que presta vestibular? Você leva as amizades, os professores que te fizeram refletir, a visão de mundo que se alterou sobre o lugar onde vive, as lições de amor, reciprocidade, cooperação. E sabe o pior? A maioria das escolas não estão nem um pouco preocupadas com isso. É óbvio que todas elas têm que mostrar que passaram alunos nas maiores faculdades para se manterem financeiramente. Porém, uma escola jamais pode ser apenas isso. E o mais importante, você não pode ser isso. No cursinho é a mesma coisa, te ensinam a passar nas melhores e dá até vergonha dizer que passou em uma que não é tão bem vista assim.

O que ninguém te conta quando você vai prestar vestibular é que na verdade não importa muito em qual instituição de ensino você vai passar ou qual é a primeira da lista. Não te contam que você tem que procurar aquela que é melhor para você! Que nem sempre a boa para um indivíduo em específico é a mais barata ou a top. Não te contam que cada faculdade tem uma grade diferença da outra, e você pode simplesmente gostar muito da grade de uma. E, principalmente, não te contam que quando for procurar emprego terá Fulano da Faculdade X, Fulano da USP, Fulano Daquela que Nunca Ouviu Falar, e você. E sabe o que mais? Você não vai trabalhar apenas com pessoas de faculdades boas e metade delas serão de lugares que nunca ouviu falar. Sabe a outra coisa? Essas pessoas vão trabalhar tão bem quanto você e cada um terá algo a ensinar para a outra.

Não te contam que, se você passar na mais “foda” e não for atrás de nada, vai sair do mesmo jeito que entrou. Do mesmo modo, se entrar na “normalzinha” e procurar oportunidades, irá poder brilhar como nunca. Não te dizem que é tudo uma questão de negócios. Portanto, você não pode se enxergar como uma nota! Tudo bem querer passar nas melhores, desde que esteja consciente de que ela é a melhor para você, que não estará sendo influenciado pelo número do vestibular que viramos na folha de prova. Aliás, tudo bem se não passar em nenhuma. Muita gente é feliz sem ter um curso superior e você não vai morrer de fome, como lhe foi ensinado ao longo de toda a vida. Pelos mesmos motivos, escolher teatro pode não ser tão ruim assim.

Você pode ter uma ideia incrível e ficar muito mais rico do que seu amigo que trabalha em um escritório confinado com os germes do ar condicionado. Tem muita gente que se deu bem na vida sem facu, e mais gente ainda que se deu bem em uma área completamente diferente daquela que escolheu. Portanto, essa não será uma decisão para sempre, ao contrário do que lhe parece. Pelo mesmo motivo é cada vez mais comum encontrar crianças que já abriram o próprio negócio, desenvolveram aplicativos, estão mais ricas do que você. Maldita a hora em que lhe ensinam que a inteligência está em entender aquela aula de geografia que você nunca compreendeu e te fazem se diminuir por causa disso.

Eu odeio o sistema educacional, e é natural que eu o odeie porque até hoje tenho em mim a ideologia dele. Às vezes sinto-me mal quando não vou bem, até que a consciência volta e percebo que não devo pensar assim. Mas me assusto, quem são esses garotos e garotas que estão sendo criados em meio a tudo isso? O que eles farão ao passar? Se sentiram vazios? Por que quando uma criança tira nota baixa sempre lembramos ela disso e nos esquecemos de falar “o mesmo tanto” para as outras 4 ótimas notas? Posso lhes responder, é porque os pais foram criados no mesmo sistema e ele perdurará, ao menos, por enquanto. A questão é que queremos uma sociedade melhor, com gente que tem um pensamento mais amplo, mas sequer olhamos para como são educadas nossas crianças.

Não entre nessa lógica! Você não precisa ser apenas um escravo de toda essa lavagem cerebral. Por isso, pense bem. Você quer o que deseja porque realmente acha isso ou porque a vida inteira foi ensinado que deveria achar isso? O mais importante: se você não passar, isso não quer dizer de maneira alguma que não seja capaz. O sistema é falho, ele não sabe o quão nervoso você estará, ou resfriado, ou triste, e avalia matérias com as quais você sequer tem muita habilidade. O sistema quer que você seja perfeito em um mundo onde não existem seres humanos perfeitos. Por isso, se não passar, você deve continuar de cabeça erguida! Por estar em meio a tudo isso e continuar em pé, você já é um vencedor. Mas JAMAIS pense que não é porque uma nota estúpida talvez sugira que não seja.

O que ninguém nunca te conta quando vai prestar vestibular é que terá de enfrentar monstros ainda maiores a cada ano novo que tiver em sua vida. Ninguém te conta que isso não é tão importante assim, que várias pessoas brilhantes sequer terminaram a faculdade. E estou falando do cara que pode ser o seu chefe (história real, que já vi acontecer diversas vezes). Infelizmente, até que não mudem essa sujeira, o que ninguém te conta quando vai prestar vestibular é o que mais deveria ser contado a todos! Até que tudo mude por você, que agora sabe como as coisas funcionam de verdade, estaremos presos nessa loucura que chamam de educar.

Texto publicado originalmente em: Blog A Coruja no Poste!

Jornalista e escritora. Apaixonada pelo mundo literário com suas diversas mesclas e composições com a realidade atual. Ama escrever contos, poemas e crônicas, mas se arrisca também nos textos opinativos e em perfis. Para definir em uma palavra: sonhadora.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*