Fui plantar árvores, mas no meio do caminho tinha uma pedra

em Ambiental/Boraplantar por
Fomos plantar árvores com a galera do #boraplantar. Mas nem tudo foram flores. No caminho, em Parelheiros, uma paineira de mais de 30 metros de altura foi derrubada para a construção de empreendimentos, tais como mercado, estacionamento e posto de gasolina. Tudo com a aprovação da Secretaria do Verde. 
A derrubada de uma árvore centenária como a paineira dói. Especialmente após ler o relato de Juliana Gatti sobre seu amor: 
“Cerca de 10 anos atrás, as paineiras começaram a marcar minha vida. Ao passar um período de descanso no sitio do meu avô, que frequentei constantemente na minha infância no interior de São Paulo, reparei em uma árvore incrível beirando a estrada já perto do destino final. Porte grande, copa arredondada, tronco largo, com uma base incrivelmente assentada, enraizada no solo. Aquela base, quase como se fosse uma grande barriga e uma cintura sustentando toda sua grandeza, chamou muito minha atenção. Uma árvore de presença fenomenal, que não saiu da minha cabeça durante os dias que passei lá.

Na volta para a cidade, já no fim da tarde, parei o carro na beira da estrada e fui até ela. Estava sem folhas, sem flores, mas com frutos incríveis; seu formato lembrava abacates. Ao chegar mais perto, vi que ela tinha muitos espinhos na casca e, no chão, haviam chumaços de uma fibra branca parecida com algodão.

Parecia um sonho, uma árvore que desprende ‘algodão’ dessa maneira, deixando o chão à sua volta lembrar uma grande nuvem.” 

Leia o restante de seu relato clicando aqui. 

Era uma pedra. Ou melhor, um trator. Fera é o nome daquele monstro amarelo que segurava a árvore centenária enquanto a humanidade se esforçava para derrubá-la. Por que digo a humanidade? Porque todos nós temos um dedo em cada árvore derrubada. Quando negligenciamos, quando viramos as costas, quando ridicularizamos as pessoas ativistas que dão o sangue pela causa.

Por falar em ativista, Teca Hirs fez de tudo para que a árvore não fosse derrubada.

“Nós tentamos preservar essa árvore pelo valor histórico, pela bioforma que ela mantinha – e acabamos descobrindo que era muito maior que a gente imaginava. […] Lamentavelmente a legislação está a favor. Eles estão totalmente corretos e cobertos. O problema é a nossa legislação que qualquer árvore pode ser compensada. Aí eu falo: eu pego uma pessoa, mato e compenso ela com sete filhos.”

Contudo, nada feito. Após tanto tentar, a fera conseguiu derrubar a árvore.

Atenção, imagens fortes:

Os plantadores de árvore, contudo, não se desanimaram. Pegaram o que podiam daquela árvore incrível e seguiram com a luta. Plantando, enquanto outros destroem.

Jornalista em formação. Fundadora da Ou Seja e blogueira. Meio Lia, meio Lua, prefere flores no cabelo a diamantes no pescoço.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*