Curte samba e mora no Rio? Confira a programação desta semana!

em Eventos por

Se você curte o melhor da samba carioca, não deve perder a programação desta semana na casa “Trapiche Gamboa”, perto da praça Mauá.
Situado no berço do samba, na Gamboa, entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, entre o centro da cidade e o bairro da Saúde, o Trapiche Gamboa é um grande sobrado do século XIX (1857) e foi inaugurado como casa de shows em 2004, tendo se tornado uma das maiores, mais bonitas e consagradas casas de samba da cidade, tida também como um refúgio para o mais autêntica forma de música brasileira: o samba de roda. Importantes sambistas já passaram por lá e exímios músicos da nova safra do samba do Rio de Janeiro frequentemente realizam as rodas na casa.
Suas tradicionais rodas de samba são magistrais. Quem é do samba, seja carioca ou turista, deve visitar o Trapiche Gamboa, endereço de uma boa combinação entre petiscos e uma roda de samba como a dos antigos terreiros.

Saiba mais: 

– TERÇA-FEIRA, 25/out, às 20h30Roda de samba 
AGORA É QUE SÃO ELAS
Projeto que tem na linha de frente de apresentação, vozes femininas, de mulheres batalhadoras, que escolheram o caminho da arte, da música para expressar sua força de trabalho, sua paixão pela música e suas raízes. As cantoras Maria Menezes (a voz do grupo “Arruda”), Nina Rosa e Simone Costa homenageiam o samba e as mulheres do samba, que ocupam com ginga, talento e graça um espaço importante na Música Brasileira. O trabalho destas três mulheres, negras e cantoras vai além dos sucessos mais conhecidos e o repertório é refinado pelos arranjos e direção musical de Leandro L. Pereira. Cada edição homenageia uma cantora em especial. Já foram homenageadas D. Ivone Lara, Clara Nunes e Beth Carvalho. São edições únicas. Trapiche Gamboa – Rua Sacadura Cabral, 155, Gamboa. Tel.: 2516-0868. Couvert artístico: R$15,00. Livre. A casa abre às 18h30. 

– QUARTA-FEIRA, 26/nov, às 20h30 –
Roda de samba do TRIO DE COURO E CORDAS
Composto por Rodolpho Dutra (pandeiro), Vinícius Oliveira (cavaquinho e voz) e Bruno Campos (violão), o trio tem como proposta apresentar uma das vertentes do samba mais interessantes e às vezes menos lembradas nas rodas: o samba sincopado. Sambas e choros cantados nos anos 40, por Cyro Monteiro Geraldo Pereira, por exemplo, são algumas das referências presentes no repertório. A Bossa Nova é o outro alicerce da sonoridade do trio, tendo como grandes referências a síncope do cantar dos interpretes João Gilberto Lúcio Alves.De maneira inventiva, o trio garante conciliar a modernidade e a tradição, sem preconceitos, resgatando canções pouco conhecidas e trazendo-as com ares de novidade (e às vezes de ineditismo), jovialidade e a vitalidade do samba. No repertório há também canções autorais.  Trapiche Gamboa – Rua Sacadura Cabral, 155, Gamboa. Tel.: 2516-0868. Couvert artístico: R$15,00. Livre. A casa abre às 18h30. – 

QUINTA-FEIRA, 27/nov, às 20h30 –
Roda de samba do cantor Anderson Vaz.
“Cantor e sambista de primeira“ e integrante de algumas rodas de samba da cidade, Anderson esbanja talento e carisma no palco, com uma bela voz e um sorriso de satisfação. Em seu repertório, traz sambas de raiz – ou, como a rapaziada diz: o samba sem agrotóxico.Ele já integrou os grupos “Lírios do Samba” e “Samba de Benfica” e depois iniciou carreira-solo, recebendo a alcunha de “o sambista de A a Z”, uma brincadeira com o seu nome. Como parte da nova safra de sambistas que se destaca nas noites cariocas, Anderson já se apresentou em palcos lendários. Com “humildade e simpatia”, já acompanhou nomes como Diogo Nogueira, Zé Katimba, Toninho Geraes e Dicró e abriu shows para Jorge Aragão, Revelação, Dudu Nobre, Arlindo Cruz, Reinaldo e Fundo de Quintal, entre outros. Trapiche Gamboa – Rua Sacadura Cabral, 155, Gamboa. Tel.: 2516-0868. Couvert artístico: R$16,00. Livre. A casa abre às 18h30. 

– SEXTA-FEIRA, 28/11, às 22h30 –
Roda de samba do EDUARDO GALLOTTI com o GRUPO CENTELHA.
O cantor, cavaquinista e compositor Eduardo Gallotti, junto ao Grupo Centelha, realiza roda de samba que já foi tradicional nas sextas-feiras da casa. É garantia de uma noite com o melhor do samba. No repertório, clássicos de ontem e de hoje, além de faixas que a memória incrível do Gallotti, que foi fundador de várias rodas de samba tradicionais como a do “Candongueiro”, em Niterói; do “Sobrenatural”, do “Severina”, do bar “Emporium” e a do “Trapiche”, no Rio de Janeiro, resgata. “O samba é forte e o couro côme”!


Informações: Sylvia Dietrich

Rua Sacadura Cabral, 155 – Gamboa (próximo à Praça Mauá)
Tels.: 2516-0868 / 2233 9276 
www.trapichegamboa.com 
Facebook: https://www.facebook.com/trapichegamboaoficial?ref=br_rs |
https://www.facebook.com/trapichegamboa?fref=ts

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*