Conheça o MudaTV

em Ambiental/Comunicação Social/mudatv/Permacultura/Sustentabilidade por

Conversei com Debora Di Benedetti e ela me explicou um pouco sobre o MudaTV, um movimento urbano de agroecologia.  O MudaTV surgiu em Agosto de 2014 quando Debora percebeu que o audiovisual poderia ser uma ferramenta para trazer agilidade na comunicação das ações de toda a rede do MUDASP (Movimento Urbano de Agroecologia de São Paulo).
“Esta rede inclui todos os movimentos sociais, instituições, ONGs e empresas que caminham para uma grande transformação dos centros urbanos, a reconexão com a Natureza e o respeito à mesma na vida diária humana”, ela complementa.
Hoje o MudaTV está ajudando a organizar pontos de cultura socioambiental. Em conjunto com o MudaSP e o Instituto Kairós, o MudaTV busca a criação de redes de espaços que visem cuidados do meio-ambiente no dia-a-dia.
Os três estão organizando um filme que irá apresentar uma proposta para o Governo, Instituições e sociedade civil. No primeiro momento, convidam a todas as pessoas que têm registros audiovisuais de técnicas permaculturais, tais como montagem de cisternas, biofiltros, plantações de agroflorestas, faxinas ecológicas etc.
“O audiovisual (filmes, vídeos, matérias) não só traz agilidade, também gera impacto e o que fazemos é trabalhar este impacto de forma positiva, trazendo à luz as práticas e soluções já existentes ao alcance de todos”, conta Debora.

Bananas Sustentáveis: Qual a necessidade hoje em dia um veículo voltado para o meio ambiente? 
Debora Di Benedetti: A necessidade deste veículo é URGENTE. Ao meio de possíveis e reais tragédias ambientais e um contexto de crise hídrica e outras muitas já anunciadas cuidar do meio ambiente já não é tão somente uma opção a se fazer. Esta atitude precisa ganhar compreensão da dimensão da responsabilidade que cada ser humano tem no processo. O problema ambiental não está fora de nós, distante, somente no Governo. Está também na atitude diária do consumo, dos cuidados, da alimentação, das formas que cada um escolhe para viver.
Neste contexto a comunicação de uma nova forma de estar humano numa cidade é também URGENTE. Muitas pessoas comentam assim: eu sei de todo o problema da destruição do meio ambiente mas não sei como ajudar. É para esta função que o MudaTV existe, para ser um canal de fácil acesso e fomentador da mudança de paradigma e de atitude.

Bananas: Qual é a repercussão do canal junto ao público? 
Debora: No momento nós temos excelente repercussão dentro desta rede a qual produz ações e atividades que são a essência do que comunicamos nos filmes. Estamos trabalhando para expandir o alcance em outras redes de pessoas que apesar de não atuar diretamente com o meio ambiente tem todo interesse em se conectar aos movimentos.

Bananas: Onde termina o ativismo no trabalho de comunicação? Ou ele nunca termina? 
Debora: Na verdade ele nunca termina como você sugeriu (risos.) Uma vez que o comunicador de processos da mudança entende seu papel ATIVO (no sentido de ativar algo novo e não no sentido de somente criticar algo velho) há muitíssimo trabalho a fazer pois existem muitos níveis de compreensões do que é ser sustentável ou o que é cuidar do meio ambiente. Vou dar exemplos. Uma pessoa que separa o seu lixo reciclável pode achar que já faz seu papel e que não precisa se preocupar com mais nada. Num outro caso uma pessoa se torna vegetariano para diminuir o impacto ambiental da produção de carnes no planeta mas não considera cuidar do lixo diário, percebe o que ocorre? Como comunicadora não estou sugerindo que temos que mudar tudo de uma só vez porque não temos como fazer tal ação, eu mesma já tentei. Mas temos que ir gerando consciência a tal ponto que mudar de atitude não exija esforço para além da gostosura de cuidar de nós mesmos e da nossa casa, o planeta que vivemos. Então ATIVAR processos de mudança é eterno porque sempre teremos formas melhores e mais conscientes de se relacionar com o meio ambiente.

O MudaTV está no Facebook, onde você pode ver os vídeos e as matérias lançadas, além de conversar em tempo real com as pessoas envolvidas.

Jornalista em formação. Fundadora da Ou Seja e blogueira. Meio Lia, meio Lua, prefere flores no cabelo a diamantes no pescoço.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*