Campo e cidade se juntam no Cais José Estelita

em Direitos Humanos/Eco/Eventos por

10367696_465512363595749_185302055341172597_n

No próximo domingo (12/4) grupos se reúnem para discutirem direitos urbanos e rurais no chamado OCUPE CAMPO-CIDADE

Evento | Local: Zona central de Recife, Pernambuco |No dia 12 de abril, a partir das 13hs, nos juntaremos, cidade +…

Posted by Ou Seja on Quarta, 8 de abril de 2015

Um velho lema da luta social afirma “SE O CAMPO NÃO PLANTA, A CIDADE NÃO JANTA”. A frase revela um tanto da relação ente as zonas rurais e urbanas, uma interseção inquestionável, cotidiana e vital. Mas a convergência de demandas (que também está por trás do significado do grito de ordem) vai muito além do prato de comida que vai para sua mesa no começo da noite.

Acima de tudo, a disputa, seja no campo, seja na cidade, é por espaço – obviamente respeitando as especificidades de cada lugar. Se no campo a demanda da reforma agrária escancara a dominação autoritária dos latifundiários e as ameaças geradas pela agroindústria, na cidade, a especulação imobiliária varre para zonas periféricas homens e mulheres de raças e classes “indesejadas”, “revitalizando” centros para a classe dominante. A terra e a moradia são território de disputa e conflito em um contexto social no qual o lucro de poucos se sobrepõe às vidas e direitos básicos de muitos.

No campo, trabalhadores e trabalhadoras ainda são expostas a regime de trabalho semi-escravo nas grandes plantações de cana-de-açúcar, enquanto na cidade o estão nos trabalhos de baixa remuneração como os catadores, ambulantes e limpadores de rua e domésticas. Em ambos os espaços, pessoas são expostas cotidianamente aos venenos dos agrotóxicos e alimentos transgênicos, ameaçando suas vidas e as de outros seres vivos.

Há muito mais em comum do que podem sugerir as distâncias geográficas. Na comunhão das opressões, faz-se necessária a comunhão na luta. SE O CAMPO NÃO RESISTE, A CIDADE NÃO OCUPA. É por isso, que, no dia 12 de abril, a partir das 13hs, nos juntaremos, cidade + campo, numa ação que chamamos de OCUPE CAMPO-CIDADE. Será uma tarde no Cais José Estelita voltada para discussões e, principalmente, vivências que reforcem essa proximidade e gerem uma cooperação entre as lutas.

Confira no mapa:

 

PROGRAMAÇÃO:

-Feira orgânica/agroecológica (vindas de 6 cidades diferentes do interior de Pernmabuco)

-Oficinas de plantio e bioconstrução

-Oficinas de mamulengo e cordel

-Aulas públicas (Movimento Ocupe Estelita, Centro Sabiá, Xukurus e MST)

-Cinedebate

-Atrações culturais (Mestre Zé Negão, Mestre Almir, Casas Populares da BR232 e Hélder Vasconcelos com o Boi Marinho

Realização: Movimento Ocupe Estelita, Centro Sabiá, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Núcleo de Agroecologia e Campesinato (NAC/UFRPE), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Pastoral da Juventude Rural (PJR), Rede Coque Vive e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Comércio Informal (SINTRACI).

Para mais informações ligar para

Chico Ludermir (99942688/88372107/34232834)

Luis Silva (98445388)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*