Arroz com Feijão

em Cinema/Resenhas por

Imagem: Internet
Texto por Lia Ferreira

“Arroz com feijão”, um episódio do filme “5 X favela. Agora por nós mesmos” , mostra a luta de um menino pobre em conseguir dinheiro para comprar um frango e presenteá-lo ao seu pai. Sua intenção era fazer um banquete para a família, pois há muito tempo comiam apenas feijão e arroz, devido à falta de dinheiro. Com o desejo em mente, contou seus planos para um amigo que, sensibilizado com a ocasião especial, decidiu ajudá-lo. Assim, juntos, procuraram pequenos trabalhos que se mostraram um tanto inusitados, por vezes cômicos.
            Míseros cinco reais era o preço de um frango. Quantia esta que, para uma família com melhores condições, pagaria um pequeno “luxo”. Contudo, para aquela criança, significava alegria, barriga cheia e, principalmente, ver a satisfação do aniversariante. Empenhou-se, portanto, ao lavar o carro de “um bacana” e aceitou os insuficientes cinquenta centavos que mais tarde lhe valeriam apenas um ovo.
Devido ao pouco ganho, ele e seu fiel amigo resolveram buscar nova chance. A ocasião perfeita  sorriu para os meninos. Mas foi um sorriso um tanto torto, já que deveriam recolher esterco de cavalo em troca do dinheiro. O trabalho, de qualquer forma, parecia valer a pena, pois conseguiram até mais que o necessário. Todavia, enquanto saltitavam em comemoração, crianças abastadas os assaltaram, proferindo ofensas típicas de bullies.
Sem dinheiro, restou ao pequeno uma única alternativa: roubar o frango. Assim o fez e, mais tarde, na mesa farta do jantar, viu a alegria de seu pai. Para a família contou o caso do cavalo, o que gerou algumas risadas, mas deixou de mencionar o fato de que perdera o dinheiro e que por isso havia roubado. Naquela mesma noite, após ouvir uma história acerca de pequenos furtos, a culpa o atingiu, levando-o, na manhã seguinte, a uma nova tentativa de “devolver” o frango, comprando um novo e reabastecendo a loja.
Com bastante humor e atmosfera de fábulas, o episódio derruba alguns dos preconceitos sobre meninos pobres. Ensina ao espectador uma lição: muitas vezes, as crianças aparentemente insistentes que pedem trocados têm uma bela história de vida que pode comover e ensinar mais que um catedrático. 

Jornalista em formação. Fundadora da Ou Seja e blogueira. Meio Lia, meio Lua, prefere flores no cabelo a diamantes no pescoço.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*